29 de novembro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
10/03/22 às 17h47 - Atualizado em 10/03/22 às 17h48

Com apoio do Corpo de Bombeiros, Vigilância Ambiental inspeciona imóveis no Lago Sul, em operação contra o mosquito da dengue

COMPARTILHAR

Com o apoio dos servidores da Administração Regional do Lago Sul, agentes da Vigilância Ambiental participam de ação conjunta de prevenção contra o mosquito da dengue em quadras do Lago Sul. A força-tarefa tem participação direta de efetivos do Corpo de Bombeiros, que utilizam drones para identificar locais de acúmulo de água ou objetos que possam servir como criadouros do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya.

As equipes realizam a vistoria em residências, terrenos, lotes e locais onde, possivelmente, possam existir focos do mosquito. Muitos desses locais foram identificados graças ao apoio, sempre necessário, dos moradores que, através da Ouvidoria-DF ou diretamente na Administração Regional, ajudam na localização. Essas informações agilizam as ações preventivas e auxiliam no combate à proliferação do mosquito. Somente em janeiro, 176.835 imóveis foram inspecionados pela Vigilância Ambiental em todo o Distrito Federal.

Atitudes simples, que começam dentro de casa, são fundamentais, conforme orientam os técnicos da Vigilância Ambiental. Neste período de dias quentes alternados com fortes chuvas, aumentam os riscos de água parada, condições ideais para a procriação do mosquito. Evitar o acúmulo de água limpa e parada em recipientes e manter limpos os quintais e calhas são algumas dessas medidas.

Além das visitas dos agentes da Vigilância Ambiental, as regiões com as maiores incidências das doenças causadas pelo Aedes aegypti recebem aplicações do fumacê, como é o caso do Lago Sul. O DF conta atualmente com 1.257 agentes de Vigilância Ambiental, que atuam diretamente no combate ao Aedes aegypti. E, contando com a parceria do Corpo de Bombeiros, as ações preventivas ganham um novo ritmo.

A Secretaria de Saúde, no entanto, continua a reafirmar que a colaboração dos moradores é fundamental neste enfrentamento. E ressalta que, ao surgir sintomas da doença, os moradores devem procurar, imediatamente, as Unidades Básicas de Saúde, evitando a automedicação.

As equipes estiveram em várias quadras, entre elas a QI 21 e QI 27.

A colaboração dos moradores na identificação desses locais, muitas vezes por intermédio da Ouvidoria-DF, é essencial para o êxito da prevenção.

Mapa do site Dúvidas frequentes